Verão à vista: 10 dicas essenciais para te ajudar a escolher o melhor protetor solar para sua pele

Trend alert: Cabelos coloridos – ruivo nude
29 de agosto de 2017
Resenha: Linha Banho de Ouro da Hidrabell para cabelos loiros
4 de setembro de 2017

Olá amoras!

Inverno indo embora, tempo bem seco por aqui, e o verão promete ser daqueles, bem quentes. Época boa para a gente aproveitar e curtir praia, clube, uma trilha. No entanto temos que cuidar da pele, pois os raios solares podem danificar a saúde da pele, fora o risco de câncer de pele.

O mercado está cheio de novas marcas e lançamentos, a gente fica até perdida na hora de escolher o protetor solar ideal para nossa pele. Será que maior preço é sinônimo de eficiência? Além disso, é comum ouvir de alguém que comprou um protetor solar em outro país, que certas marcas e tipos não estão disponíveis no mercado brasileiro. Eles são melhores do que os comercializados nacionalmente?

Recebi um release com ótimas dicas da SUNDOWN® para te ajudar na hora de escolher qual o produto ideal para sua pele.

  1. Regionalidade

O Brasil é um país referência em pesquisas, desenvolvimento e produção de proteção solar. No caso da Johnson & Johnson, o campus de São José dos Campos, localizado na região do Vale do Paraíba, é responsável pelo desenvolvimento global de produtos do segmento. Os produtos desenvolvidos e produzidos aqui são feitos especialmente pensando no tipo de pele e nos hábitos dos brasileiros, além de considerarem o clima do país. Sendo assim, não adianta “importar” essa tecnologia após durante uma viagem para aumentar a eficácia. Pelo contrário. “Os produtos vendidos na Europa ou América do Norte foram feitos sob medida para aquelas regiões, levando em consideração as características da população e o clima, que são muito diferentes do nosso”, diz José Pelino, diretor de engajamento científico da Johnson & Johnson.

  1. Ocasião de uso

Estudos meteorológicos indicam que o Brasil, por ser um país tropical, tem uma quantidade maior de radiação que chega a ser nociva à saúde humana, se não houver cuidados apropriados com a proteção da pele a exposição solar. Devemos lembrar que o protetor solar deve ser um item básico no dia a dia da população. “Para o uso no dia a dia, recomenda-se que o consumidor opte por fragrâncias mais suaves e com fácil aplicação. Para as outras situações, há uma vasta gama de itens com ações bronzeadoras, colorações diferentes e fragrâncias que remetem àquele momento feliz de praia, brincadeiras na água, férias e finais de semana”, comenta o especialista.

  1. O protetor solar deve ser adequado para cada tipo de pele e o consumidor deve sentir conforto durante o uso.
  2. Peles secas se adaptam melhor aos protetores que possuem o benefício de hidratação. Protetores que contam com antioxidantes em suas fórmulas podem ser aplicados com objetivo complementar a prevenção contra o envelhecimento precoce da pele.
  3. Para peles oleosas são indicados protetores de toque seco e com o benefício do controle de oleosidade e brilho.
  4. As versões em spray oferecem mais praticidade e são ideais para o momento de reaplicação do produto. Os protetores solares em spray para pele molhada contam com a vantagem de poder ser aplicados até na pele molhada, (como é o caso de SUNDOWN® pele Molhada).
  5. O protetor deve ser aplicado na quantidade de 2mg/cm2, aproximadamente 35g em um adulto. A medida certa de protetor solar para cada parte do corpo é a equivalente a uma colher de chá. Para aplicar o protetor no corpo inteiro, a regra são nove colheres de chá: uma para o rosto, colo e o pescoço, duas para o tronco (frente e costas), uma para cada braço e duas para cada perna.
  6. As nove colheres de chá equivalem a 200ml por aplicação – a mesma quantidade contida num frasco de protetor solar padrão – o que deveria durar dois dias. No caso do protetor em spray, recomenda-se borrifá-lo próximo a pele, fazendo movimentos de vai e vem e depois espalhando com as mãos para garantir uma cobertura homogênea.
  7. Quando exposta ao sol sem proteção, a pele leva um tempo determinado para ficar avermelhada. Quando se usa um filtro solar com FPS 15, por exemplo, a mesma pele leva 15 vezes mais tempo para ficar vermelha.
  8. Hoje, existem protetores que protegem a pele imediatamente após a aplicação, mas é sempre importante buscar esta informação na rotulagem. O protetor deve ser reaplicado de duas em duas horas e no corpo inteiro se a pele estiver exposta continuamente ao sol. Caso não haja exposição constante, o ideal é reaplicar o protetor no corpo duas ou três vezes por dia.

ME SIGAM também nas Redes Sociais:
INSTAGRAM: @blogmuitodiva
FACEBOOK: blogmuitodiva
YOUTUBE: Blog MuitoDiva
Snap: blogmuitodiva

Kisses,

Thatá.

Facebook Comments